Noticias

FME cria Instituto para formar engenheiros inovadores

Fonte: Brasil Econmico - 25/08/2011

No segundo semestre de 2012, So Paulo vai ganhar mais uma faculdade de engenharia. Mas no ser uma escola qualquer. Trata-se do Instituto Superior de Inovao e Tecnologia (Isitec), uma escola de engenharia cujo foco ser formar no apenas engenheiros, mas profissionais especializados em inovao.

O projeto ter investimento inicial de R$ 4 milhes, bancado pela Federao Nacional dos Engenheiros (FNE), e ter apenas um curso para atender um grupo restrito de 60 alunos, o de Engenharia de Inovao. Um dos motivos que levaram a federao a bancar o projeto foi a carncia de engenheiros no pas - estima-se que o dficit seja de aproximadamente 20 mil por ano.

"Trata-se de uma iniciativa sem fins lucrativos, o que no significa que ser uma escola pblica. Haver cobrana de mensalidade", explica o presidente da FNE, Murilo Celso de Campos Pinheiro. O valor ainda no foi definido.

Pinheiro explica que o projeto comeou a ser desenhado em 2006, com o lanamento do Cresce Brasil - programa com diretrizes para dar sustentabilidade ao crescimento da economia e formao de mo de obra especializada, especialmente em engenharia. "O Instituto j est criado e, agora, estamos na fase final de acertar detalhes da metodologia pedaggica e de atender a todos os requisitos do Ministrio da Educao (MEC) para comearmos a funcionar com tudo em dia", diz Octaviano.

"O nosso foco ser a qualidade do curso. Por isso optamos por ter, inicialmente, apenas um curso e um grupo mais restrito de alunos [60]." Foi essa busca por qualidade que atrasou o incio do projeto - o instituto deveria comear a funcionar em janeiro de 2012 e no em agosto.

Referncia internacional
A grade curricular o Isitec ser diversificada e, de certa maneira, descolada do que se pratica na maioria das escolas de engenharia do pas. Nada do modelo de curso compartimentado por reas - eltrica, mecnica, mecatrnica, qumica -, a ideia que o foco seja a inovao, independentemente do segmento de trabalho.

"No pretendemos concorrer com outras universidades nacionais, mas queremos nos transformar em referncia a partir da produo de pesquisa voltada para a inovao no campo da engenharia", diz Pinheiro.

Uma das novidades ser o contedo curricular em nuvem, que ser armazenado na internet, podendo ser acessado por professores e alunos dentro e fora da escola. "Fechamos parcerias com universidades da Alemanha, China e Estados Unidos", explica Octaviano, lembrando ainda das parcerias com o setor privado brasileiro.

Logo nos primeiros semestres, os alunos comearo a desenvolver projetos de pesquisa."Queremos disseminar uma cultura que, infelizmente, ainda sofre preconceito no Brasil: produzir contedo intelectual, e nisso leia-se pesquisa, aplicvel ao dia a dia das empresas. Vamos priorizar as parcerias com o setor produtivo para que a inovao produzida por ns gere frutos para a economia e para o pas", conclui.