Noticias

Déficit comercial do setor de máquinas aumenta 33%

 Crescente a cada mês, o déficit comercial do setor de máquinas e equipamentos atingiu US$ 5,5 bilhões no primeiro quadrimestre do ano. “Um recorde histórico”, segundo a Abimaq.

“Se não forem tomadas medidas emergenciais por parte dos nossos governantes, não tenho dúvida, que desaparecemos como segmento industrial do País”, afirmou Luiz Aubert Neto, presidente da entidade. “Está na hora de revertermos esse processo de aumento de importações de produtos industrializados e grandes exportadores de produtos primários, porque assim não conseguiremos reverter a tendência de primarização e desindustrialização da economia”.

De acordo com ele ainda, basta uma rápida análise dos números setoriais para concluirmos que a situação está insustentável. “Enquanto as nossas exportações – explica - passaram de US$ 2,5 bilhões de janeiro a abril de 2010 para US$ 3,4 bilhões de janeiro a abril de 2011, as importações passaram de US$ 6,7 bilhões para US$ 8,9 bilhões, um crescimento de 32,5%”.

O déficit em máquinas e equipamentos do primeiro quadrimestre já chega a US$ 5,5 bilhões aumentando o rombo da balança comercial em 33,3% em relação ao período de janeiro a abril de 2010, quando o déficit era de US$ 4,1 bilhões.

De acordo com Aubert, a situação do segmento de máquinas e equipamentos é extremamente preocupante, porque em paralelo ao aumento do déficit do setor, aparece forte queda na carteira de pedidos do setor, no 1º quadrimestre recuou 18,2% quando comparado com o mesmo período de 2010.

O faturamento no mês de abril de 2011 quando comparado com o mês de março de 2011 registrou queda de 10,4% e no ano (jan-abr/2011) a taxa de crescimento recuou para 7,1% ao alcançar R$ 24,5 bilhões.