Noticias

O que a China quer do Brasil? E o que apavora o Brasil?

quinta-feira, 7 de abril de 2011
 
Muito frequentemente o Brasil, os brasileiros (o que me parece quase normal), mas at mesmo os melhores jornais do Brasil, como o caso do velho Estado, so assaltados por temores paranicos. Infundados, em sua maior, pois concedo que existem paranias justificadas (eu, por exemplo, junto com 190 milhes de outros brasileiros, acho que a Receita Federal est sempre tramando um golpe contra a minha renda, o meu patrimnio, minha "acumulao primitiva" de riqueza, mas deve ser simples parania no justificada, essa...).
Eu sempre digo que o Brasil adora o capital estrangeiro, mas detesta capitalistas estrangeiros.
Ou seja, a gente acha uma maravilha receber investimentos, capitais, dinheiros vrios, tecnologia, os mais modernos gadgets da civilizao industrial, mas no gostamos que tudo isso seja dado, ou trazido, por capitalistas que venham para c ensinar o Brasil a ser um pouco menos atrasado e mais afinado com as modernidades capitalistas.
O Estado, por exemplo, se preocupa em que os chineses estejam comprando minas e terras no Brasil, para abastecer sua voracidade industrial e alimentar de nossas matrias primas inesgotveis...
O editorialista escreve isto:
"O risco que complexos industriais desse tipo adquiram reas de cultivo em territrio nacional alm do que a lei permite."
Bem, mas se a lei fixa limites no existem riscos disso acontecer, certo? Se os chineses, ou quaisquer outros investidores movidos por intenes malvolas contra nossas riquezas inesgotveis, comprarem alm da conta, podem ser expropriados pela nossa maravilhosa, clere e justa Justia (ou ser que estou enganado?).
E se eles comprarem sem que a lei o permitisse, qual seria o risco? Para ns no tenho certeza de que exista algum, mas sempre existem paranicos que ficam pensando no que poderia acontecer a partir de to baixas intenes. Os chineses iriam fugir com as terras? Deix-las improdutivas? Fazer um parque de diverses em lugar de utiliz-la para aquele famoso "fim social" definido na Constituio, que seria o de produzir alimentos?
Essa parania, e essa jabuticaba da finalidade social da terra, me parecem incompatveis com pessoas inteligentes, com pases modernos, enfim, com a simples racionalidade econmica...
Somos atrasados mentalmente, mais do que materialmente.
Paulo Roberto de Almeida

O que a China busca no Brasil
Editorial - O Estado de S.Paulo
06 de abril de 2011

Com base em estudo recente do Conselho Empresarial Brasil-China (CEBC), aquele pas seria o que mais investiu no Brasil em 2010. Segundo o documento, os investimentos chineses no Pas foram de US$ 12,9 bilhes no ano passado, o que representaria 26,6% do total de investimentos estrangeiros diretos no Pas em 2010 (US$ 48,46 bilhes). O levantamento, porm, deve ser examinado com cuidado, uma vez que muitos dos investimentos mencionados como feitos no Brasil no passam, na realidade, de compra de participao em companhias internacionais aqui instaladas. No h melhor exemplo desse tipo de investimento do que os US$ 7,1 bilhes gastos pela estatal chinesa da rea petrolfera, a Sinopec Corp, na aquisio de 40% da Repsol Brasil, controlada pelo capital hispano-argentino. A operao pode permitir aumento do capital da subsidiria brasileira para financiar sua atuao na camada do pr-sal, mas no se trata de um investimento estrangeiro direto, com entrada de capital. Houve outros negcios desse gnero, mas, mesmo no computando tais operaes, a China, a partir do ano passado, vem se credenciando como um dos maiores investidores no Pas, o que pode ser til ao desenvolvimento econmico nacional, desde que as leis em vigor sejam cumpridas e as autoridades brasileiras no se deixem levar pela ingenuidade.

"A China vem consolidando h alguns anos uma base internacional de matrias-primas e o Brasil passou a fazer parte desta base de fornecedores", diz o estudo. De fato, o maior volume de investimentos provenientes da China tem sido voltado para as reas de petrleo, minerao e produo agrcola. Estatais chinesas j adquiriram reservas de minrio de ferro de milhes de toneladas, em Minas Gerais e na Bahia, associadas ou no ao capital nacional. O nquel e a cadeia de produo do alumnio esto tambm na mira das gigantes estatais da China.

No setor do agronegcio, ainda h pouco foi anunciado um investimento de US$ 4 bilhes pela Chongqing Grain Group, na instalao de um polo de esmagamento de soja em Barreiras (BA), possibilitando a exportao de maior volume de leo de soja. O risco que complexos industriais desse tipo adquiram reas de cultivo em territrio nacional alm do que a lei permite.

O recente parecer da Advocacia-Geral da Unio, reafirmando a validade da Lei 5.709/71, que estabelece limites para a posse de terras por estrangeiros, tem carter geral, mas certamente levou em conta o crescente interesse chins pela aquisio de reservas minerais e de reas agricultveis no Pas.

Os setores de energia eltrica e de telecomunicaes exercem forte atrao sobre as companhias chinesas, no havendo barreiras sua entrada no Pas. uma situao muito diferente daquela com a que se deparam empresas brasileiras dispostas a investir em setores considerados estratgicos por Pequim. Como o boicote Embraer na China deixa patente, no h reciprocidade de tratamento nesses casos.

O estudo destaca que a preferncia das companhias chinesas por fuses e aquisies, que correspondem a 83% dos investimentos que tm feito no Brasil. A participao no capital pode ser feita no exterior ou no prprio pas. No h nmeros que permitam avaliar se os chineses se contentam com uma participao minoritria, que deveria facilitar, segundo ainda a CEBC, a superao de "diferenas culturais". Pelo que a prtica tem mostrado, nem sempre essa forma de operar prevalece.

Como consta do estudo, somente 11,5% dos investimentos chineses no Brasil so "joint ventures", aliando o capital de fora ao nacional. Uma terceira modalidade denominada "greenfield" (construo de uma unidade em territrio estrangeiro), sendo exemplo o aporte de US$ 400 milhes pela montadora Cherry, que vai produzir automveis no Pas. Esse segmento representa 5,2% do total de investimentos da China no Pas e, evidentemente, a Cherry veio para o Pas para disputar o mercado interno, j superabastecido de veculos, no para montar aqui uma plataforma de exportao.