Noticias

Mitsui fecha acordo de compra da SuperVia

Depois ter permanecido venda durante nada menos do que dois anos, os direitos de concesso da SuperVia, empresa que opera os trens urbanos na capital e em outros 11 municpios do estado do Rio de Janeiro, vo finalmente ter novos donos. O Conselho Administrativo de Defesa Econmica (Cade), autarquia federal vinculada ao Ministrio da Justia e que regula a concorrncia no Brasil, recomendou, no ltimo dia 6 de maro, a aprovao do negcio entre o conglomerado japons Mitsui e a Odebrecht TransPort, a atual controladora da SuperVia. O acordo, que vem sendo discutido pelas duas partes h mais ou menos um ano e deve ser concludo no final do prximo ms de abril, poder envolver valores estimados por especialistas do mercado em cerca de R$ 800 milhes. O negcio ser feito exclusivamente base de compra e venda de aes. Aps a concluso da transao, a Odebrecht TransPort, do Grupo Odebrecht, vai reduzir a sua participao na SuperVia de 72,8% para 11,33% dos papis da concesso. J a Mitsui - atravs de sua controlada Gumi - ficar com os 88,67% restantes. Diga-se que a Mitsui j participava de forma indireta da posse da SuperVia. O grupo, juntamente com outras duas empresas japonesas, detm 40% das aes da Odebrecht Mobilidade que, por sua vez, dona de um naco das aes da SuperVia. Falta ainda o negcio ser aprovado pelo governo fluminense (cedente da concesso ferroviria) e pelos bancos Bradesco e Ita, para os quais a SuperVia deve cerca de R$ 1,5 bilho. Mas estes agentes no devero constituir-se em obstculo. A expectativa do setor de mobilidade urbana que, com o novo dono, mais capitalizado, a SuperVia consiga aumentar os investimentos e equacionar suas dvidas. Espera-se ainda a rpida melhora da qualidade dos servios. A empresa vem sofrendo crticas cada vez mais severas dos usurios por conta do excesso de lotao, principalmente nos horrios de pico, e da reduo da oferta nos fins de semana. VENDAS CASEIRAS - Uma das dvidas do Cade quanto idoneidade do negcio entre a Odebrecht e a Mitsui era uma potencial integrao entre a Mitsui e a Supervia para a compra de produtos do grupo japons. No final, o Cade acabou por concluir que esta possibilidade no deveria gerar preocupao de ordem concorrencial, pois a participao da Mitsui no segmento ferrovirio no Brasil no muito grande. At hoje, a companhia apenas forneceu alguns equipamentos e composies para o metr de Salvador, na Bahia, e vem desenvolvendo pequenos projetos para o metr de So Paulo. A participao do grupo maior no setor automotivo. Atravs de uma empresa chamada Veloce, a Mitsui h anos fornece solues para as montadoras, principalmente importando peas, e presta servios de logstica. Alm da rea de transporte, a empresa tem atuao na indstria qumica, no setor de energia e de tecnologia da informao. Na rea de alimentos, a Mitsui comercializa a marca Caf Brasileiro e dona da Agrcola Xingu, empresa que atua no agronegcio por meio do cultivo de lavouras na produo de commodities agrcolas e processos industriais para o beneficiamento de algodo e sementes de soja. Nos dois anos em que esteve venda, a SuperVia chegou a ser analisada pelo fundo soberano dos Emirados rabes, o Mubadala, por um consrcio formado pela brasileira Starboard Restructuring Partners e o fundo americano Apollo, e pelo grupo brasileiro RTM Brasil, composto por executivos do setor financeiro e de transporte. Em atividade desde 1998, quando venceu a concorrncia aberta pelo governo do Rio de Janeiro para operar e manter a malha ferroviria do Grande Rio, a SuperVia administra uma rede de 270 km de vias frreas, com 8 linhas e 102 estaes, vrias delas ainda em situao bastante precria. A companhia transporta uma mdia de 750 mil passageiros diariamente, com uma oferta de 204 trens. (texto: Alberto Mawakdiye/foto: reproduo)