Noticias

Agregue valor a marca “Você”

Colunista Edelcio Fochi - 05/03/2009


Agregue valor a marca “Você”
 

Você contribui mais do que custa? Quais foram os valores que você agregou ultimamente à sua carreira profissional?

As pessoas, freqüentemente, iludem a si mesmas, quando partem do pré-suposto que sendo responsáveis e fazendo um bom trabalho, conseguiriam manter seus empregos. Algumas delas acreditam que procedendo dessa maneira por longo tempo, os fazem valer mais para a empresa. 

Obvio que a experiência conta alguma coisa. Mas talvez não. Dependendo da velocidade com que ocorrem as mudanças no mercado em que sua empresa atua, essa experiência pode realmente valer, ou não valer nada.

E a “lealdade” onde fica? Essa é uma questão mais complexa. Os funcionários que mostraram-se leais, dedicando-se anos a fio à empresa – aqueles que permaneceram lá nos períodos mais difíceis e que realmente “deram o sangue” – deveriam somar pontos com isso. Essa sem dúvida é uma virtude real e muito valiosa.

Porém, o que ocorre nas empresas hoje tem passado muito distante dessas antigas suposições. O fato de uma pessoa estar numa empresa há anos não significa nada. Você não consegue mais pontos apenas com o seu “tempo de serviço”.

O que conta é a contribuição que você está dando à empresa para que ela possa permanecer e crescer no mercado em que atua e não os anos que você permaneceu lá. Para isso você precisa, permanentemente agregar valor, novos conhecimentos, que quando aplicados podem fazer a diferença para você e para a sua empresa.

Vemos as pessoas ocupadas – trabalhando muito – sem agregar qualquer valor real e cometendo o erro ao pensar que seu esforço deveria trazer-lhes compensação financeira. As organizações até respeitam essas pessoas por agir dessa forma, mas esse comportamento não mais justifica o custo de mantê-las em suas folhas. São carreiras construídas no “faz de conta”.

A realidade do mercado, cada dia mais competitivo, leva as organizações buscarem profissionais, novos talentos, que acreditam em remuneração paga pelo desempenho, pelo valor agregado e não pelo tempo de serviço no cargo e pelas boas intenções.

Seu sucesso depende de seu valor para a organização. É preciso fazer a diferença agregando valor constantemente e suficiente para que, quando você sair, todos percebam que algo muito importante está faltando.

 “O gosto só pode ser educado pela contemplação   não      do que é razoavelmente bom, mas daquilo que  é           puramente excelente. Só revisando apenas os   melhores trabalhos que já fiz é que posso estabelecer   um padrão para o futuro.”

Johann W. von Göethe

 

 Edelcio Fochi é Consultor de Empresas e professor da Uniso
Universidade de Sorocaba

efochi@terra.com.br